pessoal

Vivo ao lado de um campo de minas

É engraçado como nem sempre nos damos conta dos perigos que nos rodeiam. Uns são atropelados, outros apanham a cirrose. Mas a verdade é que estes poderiam muito bem pisar uma mina, aqui, em território português.

Esta semana, tenho cá em casa o Taz. Como tal, de tempos em tempos preciso de o ir passear, caso contrário, arrisco-me a ver o belo liquido dourado espalhado pelo chão, e não estou a falar de cerveja. Antes fosse.

Taz, o xico esperto!

Taz, o xico esperto!

Ao lado de casa existe um campo bem jeitoso. Do ponto de vista de um cão deve ser um bom sítio, penso eu, tens algumas árvores, algumas ervas, algumas pedras…

Mas quanto mais tarde se faz, mas perigoso se torna esse campo, não fosse a dificuldade em ver as minas!

Merdinha de cão

Merdinha de cão

 

Meus amigos, se todos limpassem as suas minas, o mundo era certamente menos perigoso! E não, não pisei nenhuma mina…

 

Standard
Música, pessoal, vida

Coming Home

[Dirty Money – Chorus]
I’m coming home
I’m coming home
tell the World I’m coming home
Let the rain wash away all the pain of yesterday
I know my kingdom awaits and they’ve forgiven my mistakes
I’m coming home, I’m coming home
tell the World that I’m coming
[Diddy]
Back where I belong, yeah I never felt so strong
(I’m back baby)
I feel like there’s nothing that I can’t try
and if you with me put your hands high
(put your hands high)
If you ever lost a light before, this ones for you
and you, the dreams are for you
I hear “The Tears of a Clown”
I hate that song
I feel like they talking to me when it comes on
another day another Dawn
another Keisha, nice to meet ya, get the math I’m gone
what am I ‘posed to do when the club lights come on
its easy to be Puff, its harder to be Sean
what if the twins ask why I aint marry their mom (why, damn!)
how do I respond?
what if my son stares with a face like my own
and says he wants to be like me when he’s grown
sh-t! But I aint finished growing
another night the inevitible prolongs
another day another Dawn
just tell Taneka and Taresha I’ll be better in the morn’
another lie that I carry on
I need to get back to the place I belong
[Dirty Money – Chorus]
[Diddy – Verse 2]
“A house is Not a Home“, I hate this song
is a house really a home when your loved ones are gone
and n-ggas got the nerve to blame you for it
and you know you woulda took the bullet if you saw it
but oyu felt it and still feel it
and money can’t make up for it or conceal it
but you deal with it and you keep ballin’
pour out some liquor, play ball and we keep ballin’
baby we’ve been living in sin ’cause we’ve been really in love
but we’ve been living as friends
so you’ve been a guest in your own home
it’s time to make your house your home
pick up your phone, come on
[Dirty Money – Chorus]
[Diddy – Verse 3]
“Ain’t No Stopping Us Now“, I love that song
whenever it comes on it makes me feel strong
I thought I told y’all that we won’t stop
we back cruising through Harlem, Viso blocks
it’s what made me, saved me, drove me crazy
drove me away than embraced me
forgave me for all of my shortcomings
welcome to my homecoming
yeah it’s been a long time coming
lot of fights, lot of scars, lot of bottles
lot of cars, lot of ups, lot of downs
made it back, lost my dog (I miss you BIG)
and here I stand, a better man! (a better man)
Thank you Lord (Thank you Lord)
[Dirty Money – Chorus]

 

Standard
Aveiro, Blog, pessoal, UA, vida

A Sinfonia da Vida

A vida nada mais é do que a sequência de momentos uns atrás dos outros e cada pessoa compõem a sua tal como uma sinfonia. Entre a vida e a morte, todos nós vivemos bons momentos, embora para que possam ser saboreados, também tenhamos de passar pelos maus; ou como saberíamos a que sabe o doce sem jamais provar o amargo?

Embora não escreva aqui regularmente, desta vez ainda mais tempo isto ficou encostado à parede. Lamento imenso, mas nem sempre a vida nos corre como queremos, e nem sempre as certezas são certezas…

No meio de tudo isto, o vale é que vamos mudando, evoluindo consoante o que vamos aprendendo ao longo do caminho. Se tiverem de mudar, ao menos que seja para melhor.

Junto com a minha nova vida, também juntei um novo tema a este blog e uma nova imagem no topo pelo que espero que gostem deste aspecto tanto como do anterior (se se lembrarem isto é :D) A foto está ao contrário como símbolo da vida que por vezes também pode estar virada ao contrário.

Deixo aqui das músicas que mais tenho ouvido ultimamente que se chama ‘little pink houe’  – czars

Lilacs and tiger-lilies won’t be enough for me when you’re gone
Hollyhocks, gladiolas, will never replace this face

In your little pink house with the blue polka-dots
I learned what I was and what I was not,
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be

Bleeding heart, lily-of-the-valley
Snapdragon, rambling rose
You’ll never make it in this world
If you’re not one of those

In your little pink house, with the blue polka-dots
I learned what I was and what I was not
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be

Diadem, orange sensation
Diorama, bell canto,
Baby-Lune, and princess too,
But you were the one I chose

In your little pink house, with the blue polka-dots
I learned what I was and what I was not
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be
Supposed to be

Standard
Blog, pessoal

O antigamente

Este é daqueles posts em que se podem rir às minhas custas… Riam-se macambúzios!

Quando era mais novo (não sou velho!), isto no meu 11º ano de escolaridade, já tinha um belo de um blog. Esse blog hoje em dia já não existe mas foram tempos giros e divertidos. As coisas na altura eram tão diferentes mas ao mesmo tempo iguais ao que são hoje 😀 Todo a cultura de blogging evoluiu muito mas certas coisas ainda são as mesmas

Blogs do sapo

Blogs do sapo

Alojado na plataforma sapo, esta foi a minha primeira experiência com o blogging e parece que gostei da coisa, mesmo tendo ficado muito tempo sem escrever em nenhum blog. Na altura, não tinha internet em casa (por acaso, ainda hoje não tenho 🙂 mas isso é outra história), por isso lembro-me de chegar a casa depois das aulas ou mesmo do treino de basquet e sentar-me à frente do computador (no Inverno as mãos até estalavam de frio :D) e ter sempre de fazer uma escolha: jogar computador (oh yeah!) ou trabalhar para o blog (também gostava, mas jogar é jogar!). Uma vez que era muito trabalhador (na altura), a escolha não era sobre o que ia fazer até ir para a cama, mas sim o que ia fazer em primeiro, pois trabalhava sempre qualquer para o blog mas o dia já não era dia se não jogasse um pouquinho (muitoooo)… No final de cada dia, passava sempre mais tempo de volta do blog que a jogar (menino lindo :D)

O que podia eu então fazer para o blog sem ter internet em casa? Fácil, de dois em dois dias escrevia um post para o blog mas o que gostava muito mais de fazer era trabalhar no visual do blog. Foi a primeira vez na vida que tive contacto com HTML e alguma edição de imagem e desde aí nunca mais parei de aprender e gostar. Todos os dias mudava alguma coisa no aspecto do blog (todos todos todos os dias mesmo!), nem que fosse por alguns milímetros apenas (eu disse que mudava sempre alguma coisa, não disse que era muito). Quando acabava, todo contente da vida, metia todo o meu trabalhinho na pen usb que tinha na altura (acabei por perdê-la, essa e mais não sei quantas) 128mb (grande máquina! :D) e esperava arranjar meia horita no dia seguinte num dos computadores da escola para cuidar da minha presença online.

Já mais tarde, na universidade, com os jornais do deviantArt, acabei por aprender CSS também e algo de photoshop. A verdade: nunca faço nada da vida mas sempre vou aprendendo umas coisas giras! Ah, e também gosto de fotografia 😀

Este post foi escrito ao som de The Beach Boys – Wouldn’t It Be Nice (que grande música)

Standard
Geral, ginásio, pessoal

Animação a valer…

Devo dizer que is ao ginásio é sempre uma experiência engraçada… Isto de ter televisões é porreiro pah! Uma pessoa enquanto corre tem televisão e pode ver/ouvir umas músicas, ver notícias ou mesmo ver documentários de animais…

Sabem o que seria mesmo inigualável? Um documentário sobre os porcos! Ora imaginem lá, cheirinho a porco na sala e imagens na tv para acompanhar!

Standard
Geral, pessoal

A sandes de atum mais mortal

Há umas semanas, antes das aulas começarem, precisei de ir a Aveiro tratar de uns assuntos (sou muito importante hehe). Como tal, dirigi-me à CP e apanhei um intercidades para realizar o percurso entre Pombal e Aveiro.

Passado um bocado, após estar sentado no comboio por algum tempo, acabei por ficar com fome. Resolvi ir ao bar comprar algo e quando lá cheguei, haviam várias coisas para comer. Umas bolachinhas, batatas fritas, sandes americanas, etc…

A sandes americana parecia-me uma boa escolha. Havia vários tipos. Em qualquer dia normal, optaria pela de atum sem sequer pensar duas vezes. No entanto, nesse dia, alguma coisa me disse para comer a de fiambre. Assim foi, comprei a sandes e uma água e voltei ao meu lugar para descobrir que afinal a senhora que me atendeu tinha-me dado a sandes de atum que não me apetecera comprar.

Infelizmente, uma vez que sou preguiçoso e não queria voltar para trás, pensei para mim que mal poderia fazer uma inócente sandes de atum? Pelos vistos muito, andei horas e horas cheio de dor de barrica, não dormi nada nesse dia que não estava nada bem e vou poupar nos restantes detalhes que certamente não interessam a ninguém mas involvem muitas idas ao WC 😀

Moral da história: Por muito tímidos que sejam, por muito preguiçosos que sejam, ou mesmo por qualquer outra razão, reclamem sempre e não comam nada que não vos apeteça…

Standard